terça-feira, 28 de outubro de 2008

O Nostradamus de Coimbra


Manuel Alegre publicou 'nova' prosa no DN de hoje para partilhar connosco que tudo aquilo que está a acontecer de mau no mundo ele já o tinha previsto.

E vai de desenterrar um naco de literatura de 1999, onde dizia que “a crise financeira que alastrou, dos mercados asiáticos à Rússia e já ameaça gravemente o Brasil e toda a América Latina, pode minar, de um momento para o outro, pela incerteza e pela volatilidade, o próprio funcionamento dos maiores centros financeiros do mundo”.

Não interessa que esta é uma outra crise diferente da de 1999, que começou noutro ponto do globo, que teve outras origens imediatas e que a Rússia e o Brasil estiveram entre os últimos países a ser afectados.

Por isso, depois de sacudir o pó, Alegre deixa-nos outra profecia: “Não se sabe que réplicas se seguirão ao tsunami que abalou o sistema financeiro mundial. Nem até que ponto irá a recessão económica e quais as suas consequências sociais e políticas. Sabe-se que nada ficará como dantes".

Pois é, não se sabe nada disso, mas quando chegar a altura de acontecer seja lá o que for, não digam que o nosso Nostradamus não avisou.

Eu também tenho um relógio que, embora parado há muito tempo, dá as horas certas duas vezes ao dia. Vou passar a prestar-lhe mais atenção.

3 comentários:

spruitje disse...

Não negue à partida uma ciência que desconhece, caro Daniel. Qual Alcinda Lameiras qual quê: venha o Manuel Alegre!! Já o estou a ver com uma banquinha à entrada da feira popular, a lançar as cartas do tarot, mesmo ali junto à barraquinha das farturas.

Anónimo disse...

Nós tardamos é muito a pôr esta
gente do poleiro abaixo

alentejano disse...

Este Manuel Alegre é mesmo uma gracinha não é?
Precisamos de muitos para animar a malta.
Precisamos também de cantadores de tangos.
será que o M.Alegre pode dar um geitinho,era bom, não era.
assim podiamos dizer : Oh Manel vai cantar tangos para....não canta-os agora e aqui