sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Nem com as forças das águas...

Jorge Coelho pediu a demissão imediata quando a ponte de Entre-os-Rios caiu. Nem ele, nem o governo de que ele fazia parte construíram a tal ponte. Mas Jorge Coelho entendeu que havia uma responsabilidade política. E deu a cara por ela.
Não consta que algum membro do governo regional da Madeira tenha tido a mesma dignidade, apesar da catástrofe ter sido anunciada, no mínimo, há dois anos. Como se pode ver no documentário da RTP2. São apenas cinco minutos que adivinhavam, quase ao milímetro, o que viria a acontecer. Mas ninguém se responsabiliza, ninguém sai.

4 comentários:

K2ou3 disse...

Ele já estava com muita vontade de mudar de emprego.
E como já tinha outro garantido, achou que a hora era aquela.
João Jardim, ninguem o quer em casa.
E acho que ele está mesmo muito bem onde está, e sempre fez "TRABALHO" invejávél..

Francisco disse...

Esta comparação esquece o famoso 'pântano'... A queda da ponte foi o 'motivo' perfeito; o resto é treta sem sustentação

Rui Figueiredo Vieira disse...

Pois é. É que determinadas pessoas estão descaradamente agarradas ao poder. Esse mesmo poder que se conquista nas eleições em situações normais, não na Madeira. Aí, a Monarquia está bem viva!

manuel gouveia disse...

Tá de chuva meu caro... ninguém sai... nem à rua!