quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Bendita conjunção

José Sócrates não quer detalhar porque é que considera que a situação orçamental portuguesa é diferente da grega, uma vez que até se trata de um país amigo, em dificuldades, etc, “mas” a verdade é que "basta olhar para os números" para perceber que são situações completamente diferentes.

Da mesma forma que não comenta a candidatura de Rangel à presidência do PSD porque não fala de política nacional no estrangeiro, nem da vida interna dos outros partidos, “mas” considera que o que a nossa política precisa é de "moderação" e não de pessoas que acham que devem fazer "carreira política com base no radicalismo".

2 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.