terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Portugal em boas mãos

Quando se ficou a saber que o desemprego, em 2008, foi de 7,6%, o governo exultou e Manuel Pinho considerou esses dados como “um sinal de esperança” face aos 7,8% esperados pelo governo. Um sinal, como quem diz, uma estrela no meio deste céu enevoado que é a crise (onde é que já ouvi isto?).

Quando se ficou a saber que, em Janeiro, o número de inscritos nos centros de emprego ultrapassou os 70 mil (mais 44,7% que em Dezembro e mais 27,3% que em Janeiro do ano anterior), Vitalino Canas desdramatizou, dizendo que o aumento “já estava previsto pelo governo”. Como quem diz, “descansai portugueses, está tudo sob controlo”.

Não sei se no fabuloso mundo da comunicação e spinning este tipo de estratagema tem algum nome, mas assim num plano menos científico ocorre-me a palavra ‘lata’.

Mas, já que vale tudo, o melhor mesmo é o governo anunciar desde já que o desemprego vai atingir os 97% em Portugal. Passado o choque inicial, poderão depois reivindicar uma vitória ou um sinal de esperança cada vez que um novo aumento do desemprego fique aquém desse número. E assim o céu poderá, finalmente, encher-se de estrelas.

2 comentários:

Luis Melo disse...

É o que eu digo... têm muita lata e também uma enorme cara de pau para dizerem isso na TV muito calmamente

spruitje disse...

Eu proponho desde já uma parceria entre o governo e a Maya, alternando como Professor Bamba. Além de um completo mapa astral (baixo astral, neste caso) poderão ainda antecipar todos os acontecimentos dos próximos tempos,revelando uma grande capacidade de análise e rapidez de reacção. E tranquilidade, claro. Muita tranquilidade.