quinta-feira, 23 de abril de 2009

Ironias da História

Na mesma altura que um grupelho de gente pretende homenagear um ditador, com vastas provas dadas sobre torturas e ferocidade na condução de um regime, mesmo com as resistências de quem sentiu a sua acção na pele, Otelo Saraiva de Carvalho é promovido a coronel.

3 comentários:

António disse...

Otelo, esse grande homem contra quem não há "vastas provas dadas sobre torturas e ferocidade na condução de um" grupelho de malta que não conseguindo o poder a bem tentou consegui-lo a mal.

A verdade é que esse ficou por cá a rir e ganhar indemnizações à nossa custa, ao contrário daqueles que roubou, torturou ou matou (ou mandou fazê-lo).

Ironia da história era esse tipo levar dois tiros na nuca quando fosse comprar queijo antes do jantar.

Gosto de ir lendo este blog, respeito opiniões diferentes e quiçá mais acertadas do que as minhas, mas palas nos olhos é coisa que não esperava por estes lados.

Depois não me venham defender os direitos humanos... haja coerência.

maria disse...

e tu António? a que grupelho pertences?

Longe de mim querer defender o Otelo, que pelos vistos, pode ser que um dia a história venha a contar, fez muito pouco pelo 25 de Abril. a ironia da história emídio, sabes qual é? na verdade quem realmente sofreu e lutou para vivermos num país onde cada um expresa livremente as suas opiniões, mesmo as mais idiotas, esses continuam na sombra e mal tratados por este país que como dizia o outro "isto não é um país é um sitio mal frequentado!"

Iris R. Costa Barroso disse...

Mas Maria,

Nós vivemos num país de liberdade de expressão, desde que não fales mal do governo e não trabalhes para alguém com cartão cor de rosa, certo?! É que já houve quem fosse despedido por tal.

Mas homenagear Otelo, Salazar, ou Álvaro Cunhal, parece-me absurdo. (apesar de Otelo ainda não ser nome de rua, ou é?) Parece-me sempre absurdo homenagear pessoas, pois todos nós, mesmo os ditos "heróis", com honras de nomes de rua, são apenas humanos e como tal, não agradam a todos.

Vejamos o Marquês de Pombal (ditador para uns, para outros visionário)Vasco da Gama? D. Pedro?
D. Afonso Henriques? (o homem lutou com a mãe!)

Que tal darem às praças, ruas e avenidas nomes como: A praça dos amores perfeitos, Rua da Igreja do Século, a Av. dos malmequeres Praceta dos Tigres Dentes de Sabre, a Travessa dos Pinguins...

São apenas algumas ideias.